Quando as coisas perdem o sentido

Quando as coisas perdem o sentido, perdem o brilho também e, o propósito meio que se apaga, aí é hora de mudar. E pra mudar é preciso arriscar e para arriscar é preciso se desacomodar e é aí que o bicho pega pra valer. Sair de um lugar seguro e se jogar no desconhecido, difícilContinuar lendo “Quando as coisas perdem o sentido”

Mulher depois dos 40 não pode…

Dia 5 de setembro completei 42 anos, com corpinho e cabeça de 42 anos. Não me recordo de imaginar como eu seria aos meus 42 anos, sabia que continuaria sendo totalmente fora dos “padrões”. Conforme fui amadurecendo, fui me sentindo mais segura e me enxergando de verdade. Me livrando de amarras que fui aceitando duranteContinuar lendo “Mulher depois dos 40 não pode…”

Marcas

Outro dia conversando com uma pessoa muito especial, falávamos sobre marcas, as marcas que adquirimos no decorrer de nossas vidas. Algumas dessas marcas são físicas, visuais e outras não são visíveis mas muito perceptíveis e profundas. Incrível como algumas pessoas que passam por nossas vidas nos marcam e outras simplesmente evaporam, como se nunca tivéssemosContinuar lendo “Marcas”

Eu não tenho que nada

Tenho um ranço quando escuto ou leio que alguém “precisa” alguma coisa. Precisa ser grata, precisa ser mais compreensiva, precisa ter mais paciência, precisa estar mais disponível, precisa estar mais presente, precisa se exercitar, precisa comer melhor, precisa estudar, precisa, precisa… Eu não tenho que nada não colega e se tu não concorda comigo, vaiContinuar lendo “Eu não tenho que nada”

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora